sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Boletim Informativo, 25 de janeiro de 2015

UM CRISTÃO PODERIA SER A FAVOR DA PENA DE MORTE?

Rev. Cleverson Gilvan

            Recentemente todos acompanharam com atenção a história de Marco Archer Moreira, um traficante brasileiro, condenado à morte, diante das leis e costumes da Indonésia. Mais uma vez, a história da aplicação da pena capital trouxe a nós a oportunidade de refletir sobre um tema tão controverso, que nesse pequeno artigo tenta responder objetivamente a pergunta: Um cristão poderia ser a favor da pena de morte?
            Primeiramente devemos lembrar que as Escritura sempre trataram a vida como um bem sagrado, e isto é verdade especialmente no que diz respeito à vida humana, que foi criada para refletir a imagem do seu Criador. Isto é tão certo que um dos mandamentos da lei do Senhor diz: Não matarás!
            Contudo, em função da própria seriedade da lei, segundo o Antigo Testamento, todo o homem que matasse, morreria, como se vê em Levítico 24:17 “Quem matar alguém será morto.”. Mas mesmo lá, essa pena não poderia ser aplicada por qualquer pessoa, só o estado, legitimamente constituído é que poderia aplicar tal pena.
            No Novo Testamento a lógica não é anulada, ou seja, o Estado continua sendo uma agência legítima do Reino de Deus, por isso Paulo declara: Romanos 13:4 “visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal.”, segue-se então que o Estado, e somente este, conforme determinação Divina tem autoridade legítima para aplicar a pena capital em casos de extrema gravidade, como o assassinato.
            Mas e o mandamento: Não matarás? Observe que a ordem não é dada para o Estado constituído, mas para pessoas, o sujeito oculto na ordem é TU. Deste modo, por causa da sua missão dentro do Reino, o Estado pode apenar aqueles que descumprirem o mandamento. Além disso, não é válida a ideia de que os possíveis erros de julgamento invalidam a pena, afinal de contas se os erros do juízo invalidasse sua missão não haveria nunca e em nenhum lugar qualquer justiça (humana).
            Deste modo respondemos objetivamente que é possível sim a um cristão admitir a aplicação da pena capital, desde que ela seja estabelecida pelos trâmites legais.   

Avisos

Visitante
É uma alegria recebê-lo em nossa igreja! Que a graça do Senhor Jesus alcance a sua vida. Sinta-se convidado a participar conosco de nossas reuniões. Se desejar também você pode procurar um de nossos pastores!

Nosso acampamento de carnaval está aí!
A temática está muito legal e tenho certeza que você vai gostar muito...
Mas fique atento, pois as vagas são limitadíssimas (apenas 40 intercambistas) ...
Você  é  nosso convidado pra conhecer a vida do Apóstolo Paulo e o país FIDES.
Palestras com Rev. Cleverson e Rev. Everton.
Louvor com Ministério de Louvor da UPA e Ministério de Louvor da Igreja.
Leitura da Palavra, dinâmicas, brincadeiras, gincanas, esportes, períodos na piscina...
Venha viver essa aventura! Será na chácara Vale do Sol dos nossos irmãos Carmi e Dc. Josué.
As inscrições serão feitas este mês APENAS com Marly Martins e Marly Moreira e você ainda pode dividir em 2 pagamentos.
Abraços esperamos vocês...
Janaína e Junior - Conselheiros da UPA Central

APOIE NOSSO ACAMPAMENTO!
Irmãos, sabemos que o carnaval é um período perigoso pra nossos adolescentes e jovens, por isso há anos, realizamos nossos acampamentos. Se você não tiver filhos ou netos adolescentes ou jovens, abençoe alguém da igreja pagando a sua inscrição, total ou parcial. Você ainda pode nos ajudar com doação de mantimentos ou qualquer outro tipo de oferta... Lembre-se... "Deus ama a quem dá com alegria". Contamos com toda a igreja. Conselheiros da UPA


Reunião do Presbitério
No próximo final de semana teremos a reunião do nosso presbitério na Igreja Presbiteriana de Coromandel. Nossa igreja será representada pelo Pb. André, que será acompanhado dos pastores da Igreja, Rev. Cleverson e Rev. Everton.

Estudo Bíblico
Participe dos nossos estudos bíblicos semanais. Durante o mês de janeiro os estudos bíblicos na Central estão sob a responsabilidade do Rev. Everton César.

Reunião de Oração
Deus tem nos dado uma oportunidade ímpar de oração e comunhão na Igreja. Nos reunimos toda terça-feira, sempre às 19:30 horas. Venha orar conosco!

Reunião do Conselho
Todos os presbíteros estão convocados para uma reunião na próxima terça-feira, após a reunião de oração.

Intercessão
- Israel (bisneto da D. Diva), será cirurgiado em Goiânia

Aniversariantes
25/01
Lucas Pereira de Oliveira
Central
3831-5418
25/01
João Vitor A.Brossi
Central
3831-7621
28/01
Sonia Helena dos Reis
Central
3832-5428
29/01
Eric Gabriel
Manancial

31/01
Cinharinha
Matinha

31/01
Marcos M. Lacerda
Central
3831-2928




OITO RESOLUÇÕES PARA 2015 (Parte 2)

(coluna do Rev. Everton César)

Rev. Daniel Santos Jr

Há muitas coisas que aprendi com personagens e episódios bíblicos durante este ano de 2014 que eu gostaria que fizesse parte da minha vida a partir de 2015. Aproveito a ocasião de final de ano para transformar algumas delas em “resoluções para o ano novo”.

QUARTA RESOLUÇÃO

Quero definir de uma vez por todas meu ponto de contentamento.

Esta resolução aprendi com a declaração de Davi no salmo 23:1. Embora não apareça na maioria de nossas traduções em português, a confissão inicial do salmista pode ser traduzida da seguinte maneira: O Senhor é o meu pastor, logo, eu não sentirei falta de nada. Esta é a virtude que desejo cultivar: fazer com que o senhorio de Deus afete as coisas que eu desejo, que busco e me empenho diligentemente para adquirir. Com o tempo de vida que já vivi, e observando a vida dos que já viveram bem mais que eu, não seria um exagero dizer que Deus não está empenhado em nos ajudar conquistar tudo o que desejamos, mesmo porque parece não haver um limite para tudo aquilo que queremos. Isto tem me levado a perguntar: quanto do que tenho buscado conta com a cooperação de Deus e quanto tenho buscado por conta própria? O que consome a nossa alma não é o ter de aguardar até conseguir o que desejamos, mas sim a indefinição do que realmente pode nos proporcionar contentamento. Quem não sabe o que quer nunca encontrará o que quer.
QUINTA RESOLUÇÃO

Preciso criar o habito de caminhar e deixar a vida sedentária.

Esta resolução eu aprendi com personagens como Enoque, que ficou conhecido porque “andava com Deus e este o tomou para si” (Gn 5.24). Sim, eu estava me referindo a “exercitar-me” quando disse que precisava cultivar o hábito de caminhar, mas o motivo porque não desenvolvi este hábito até hoje talvez seja digno de nota. O ser humano não foi feito para caminhar simplesmente por caminhar; caminhamos para nos deslocarmos rumo a um destino. Há uma exceção quando o destino de nossa caminhada não é a coisa mais importante: quando caminhamos com alguém cuja companhia é digna do esforço. A saúde resultante de um estilo de vida ativo deve ser sempre um fator secundário; mais importante do que ser ativo é termos para a nossa caminhada um razão digna do ar que respiramos. Desde o princípio Deus criou a rotina e “andar pelo jardim” na viração do dia, o que exigia de Adão e Eva o empenho de “andar com Deus” ouvindo o que ele tinha a falar. Semelhantemente, preciso valer as pernas com as quais Deus me criou, andando com ele ou por um motivo que leve pessoas a conhecê-lo.

SEXTA RESOLUÇÃO

Preciso cantar um novo cântico.

Esta resolução eu aprendi com o salmista no Sl 96. A vida cristã que devemos cultivar exige obviamente uma disciplina na repetição de certos valores que devem fazer parte de nossa caminhada. Todavia, a mesma disciplina que me auxilia a cultivar esta espiritualidade pode se tornar um obstáculo para continuar renovando meu repertório de respostas por todos os grandiosos atos de Deus. Um excelente “energético espiritual” para nossa vida cristã é dedicar um tempo para repensar e recriar nosso diálogo com Deus. Literalmente: precisamos orar novas orações, precisamos ouvir novos cânticos, precisamos cantar novos hinos, precisamos ler outros livros da Bíblia que ainda não têm nenhum verso sublinhado. Faça uma nova oração. Você já se pegou orando a mesma oração ano após ano, sem muita criatividade e inspiração para formular uma nova oração diante de Deus? Eis ai uma boa resolução de ano novo – orar uma nova oração. Nenhum de nós toleraríamos um amigo que sempre se aproximasse com as mesmas palavras, pedidos ou reclamações. Ora, o nosso Deus é um Deus pessoal e é digno de um relacionamento semelhante ao que Moisés teve com ele.




ESTUDO DIRIGIDO PARA GRUPOS FAMILIARES

Baseado no sermão do Rev. Cleverson Gilvan na Central

Texto: I Jo. 5.1-5

            Não se pode negar a relação necessária que existe entre a fé, o amor e a obediência. Por isso podemos afirmar que a verdadeira fé se expressa em gestos de amor, que tem na obediência uma das suas mais sérias expressões.
            Então, você realmente crê em Deus? Como está fé tem refletido no seu amor por ele? Ela o tem levado a obedecer, de bom coração, todos os seus mandamentos?
            Que o estudo desta passagem o leve a refletir nessa mensagem tão importante.

1) Segundo João, quem é que crê que Jesus é o Cristo?

2) Ser nascido de Deus é ser gerado pelo seu próprio amor. Você acredita que é possível alguém amar verdadeiramente a Deus sem conhecer a Jesus?

3) Como podemos saber que amamos aos filhos de Deus?

4) Por que os mandamentos de Deus são importantes para a nossa vida?

5) A palavra mundo aqui em João trata do pecado que subjugou todos os homens. Estes vivem cercados pela corrupção e completamente distantes de Deus. Como podemos vencer este mundo?