sexta-feira, 27 de março de 2015

Boletim Informativo, 29 de março de 2015

“Ensina a criança no caminho em que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele”. (Prov. 22:6)

Eugene Peterson

            O texto de Provérbios é um texto basilar para a criação de filhos. Entretanto, há algo muito precioso nesta passagem que merece nossa atenção. A ordenança dada pelo autor sacro não é para ensinar o caminho, mas sim ensinar no caminho. Essa diferenciação é muito importante, pois quem ensina o caminho apenas aponta para o destino a ser percorrido, não se comprometendo a caminhar junto. Trata-se mais de um ensino à distância, meramente intelectual e informativo. Contudo, aquele que ensina no caminho também está percorrendo junto o trajeto, ou seja, além de mostrar qual caminho, o educador está comprometido em caminhar junto ao educando. Não se trata de um ensino puramente informativo, mas, sobretudo, vivencial.
            Isso nos leva a considerar alguns postulados muito importantes na criação de filhos:

· Ensinar é muito mais do que levar a criança para a Igreja. O grande pregador norte-americano Billy Graham disse: “Ir à Igreja não fará de você um cristão, assim como dormir na garagem não vai fazer de você um carro”.

· Ensinar é muito mais do que falar sobre Deus. Como você vai falar acerca de quem você não conhece. Como mostrará para o seu filho que Deus é bom se você jamais experimentou a bondade de Deus em sua vida.

            Os puritanos do século XVII tinham uma prática muito interessante. Quando notavam que uma determinada criança não estava crescendo no conhecimento das Escrituras, eles disciplinavam os pais por entenderem que os pais eram os responsáveis pela ignorância da criança acerca do conhecimento de Deus. Imagine quantos pais seriam disciplinados se a Igreja contemporânea resolvesse adotar tal medida.
A palavra hebraica traduzida como ensino é chinuch. Significa muito mais do que simplesmente educação no sentido de dar à criança fatos e números a serem assimilados. Chinuch significa moldar o caráter da criança e guiá-la, passo a passo, pelos caminhos que a ajudarão a torná-la uma pessoa íntegra e um bom judeu em sua totalidade.
            Os comentaristas bíblicos afirmam que Jesus se utilizava do método peripatético de ensino. A palavra peripatético é uma palavra grega que significa “ambulante”, “itinerante”, ou mesmo “aqueles que passeiam”. O método peripatético pode ser assim definido: “Ensinar enquanto se caminha junto”. Trata-se de um ensino que é fruto de um relacionamento. É a arte de ensinar ao ar livre. Na época de Jesus se alguém desejasse se tornar aluno de algum mestre em Israel, tal pessoa deveria estar disposta a seguir seu mestre. Pois, a medida que o mestre caminhava ele ia ensinando. Portanto, o ensino proposto por Jesus é muito diferente da idéia que concebemos de aprendizagem. O ensino de Jesus não está limitado a prescrições frias, mas a um estilo de vida. O preceito acima já estava contemplado na Lei de Moisés. Senão, vejamos: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas” (Dt. 6:6-9, grifo meu).
            Outro aspecto que merece nossa atenção é: só se ensina aquilo que se sabe. Logo, se o Pai não conhece as Escrituras, como ensinará o seu filho acerca do Reino de Deus? Assim sendo, o pai deve ser um profundo conhecedor das Escrituras a fim de transmitir ao seu filho o conhecimento de Deus.




Avisos

Culto da UCP
O Culto de hoje à noite será dirigido pela nossa UCP. Será uma grande oportunidade de orarmos com e pelas crianças de nossa igreja. Venha cultuar ao Senhor conosco!

Programação Especial de Páscoa
No próximo final de semana teremos nossa tradicional programação de Páscoa. Central e Congregações estarão juntas num grande momento de comunhão e confraternização. Todos são nossos convidados. Anote nossa programação e convide seus amigos.

Sexta-Feira – Culto das Sete Palavras da Cruz
Na sexta, dando início às nossas programações, teremos o culto das sete Palavras da Cruz na Congregação Filadélfia. O Culto será às 19:30 horas e toda a igreja está convidada.

Estudo Bíblico
Em função do culto da sexta-feira não teremos o estudo na quinta-feira. Todos nos reuniremos na Congregação Filadélfia na sexta, 03 de abril, às 19:30h.

Culto da Ressurreição e Cantata do Coral
No domingo dia 05 (próximo) teremos o culto da ressurreição com a Participação do grande coral das Igrejas Presbiterianas de Patrocínio. Nosso culto será às 07:00h da manhã seguido de um delicioso café.

Escola Dominical Especial
Nossa Escola Dominical também será especial, pois contaremos com a presença de nossas congregações.

Reunião do Conselho
Nossas reuniões acontecem sempre na primeira quarta-feira de cada mês. Por isso, todos os presbíteros estão convocados para nossa reunião no próximo dia 01/04, às 19:30 horas.

Intercessão
ü  Solón, marido da Edma – recuperando de Cirurgia
ü  Lara – Filadélfia – saúde
ü  Gracina – tratamento de saúde
ü  Ronaldo Andrade – enlutado
ü  Lucrécia – enlutada

Palavra de gratidão
D.Diva e família agradecem a Igreja e aos irmãos que estiveram orando a favor do seu bisneto Israel. Fez a cirurgia e está passando bem.

Aniversariantes
29/03
Eloide dos Reis
Central
3831-6874
31/03
João Lucas dos Reis
Central
3832-4515
31/03
Elenir Fernandes Silva
Central
3831-1890
31/03
Luis Paulo P. Oliveira
Central
3831-5418
01/04
Moisés José de Oliveira
Central
8829-1906
01/04
Neymari Neves Lisboa
Alto da Estação





A queda dos Gigantes

Rev. Everton César

            "É a queda do gigante..." A frase não me saiu da cabeça. Dita por uma amigo, com lágrimas preocupadas, ele falava de quem tínhamos admiração, mas agora está com a saúde fragilizada. Me dei conta que para mim ele também era um gigante, e vê-lo doente também me esmoreceu. Para ele um pai, para nós um mestre, um verdadeiro gigante na fé, cuja saúde abatida nos entristecia. Embora eu o imaginasse com aquele típico sorriso receptivo de quem já viveu e aprendeu a ensinar com o ar e sabedoria de avô.
            Me pus a questionar porque nos abatemos tanto quando os gigantes caem.
            Pode ser porque Deus queira mostrar sua grandeza na fraqueza dos seus servos. Aprendi com o constrangimento da minha fala uma lição importante a este respeito. Disse a um amigo, também pastor: "Fulano é um grande servo de Deus". Prontamente ele me corrigiu: "Se alguém é servo, não pode ser grande. E quem é, se diminui para servir..." Como o prego só é útil quando martelado, tive que dar graças a Deus pela martelada em amor do amigo pastor.
            Aos nossos olhos, o pequeno fica grande, quer sejam problemas, dificuldades, bênçãos e até... pessoas. A grandeza que vemos em certos servos não vem deles mesmos, mas procede daquele que concede a fé. Sim, o que há de grande neles é o Deus a quem servem, visível quando somos servidos por eles em seus dons.
            Martelado pela vida e pela doença, assistimos, impotentes, a dor e a dificuldade, lutando para descansar naquele que detém todo o poder nas mãos, inclusive o de mudar a situações presente, nos dando de presente a recuperação.
            Se o gigante está certo, então é certo que "a dor não passa, mas Deus fortalece as costas para que suportemos o peso". E mesmo para quem sabe que a graça é maior que a vida, perceber a graça suficiente de Deus em momentos de provação e dor é difícil. A lição terá que ser aprendida por quem Deus quer ensinar. Como mãe que quer passar a dor do filho para si, mas não pode, não podemos aprender a lição do outros, nem pelos outros. Mas como irmãos, podemos esticar o braço virtual, na realidade da fé de quem nos une numa só família, e abraçar o coração dorido do outro e compartilhar as fraquezas, para formarmos um coro de louvores quando Deus der a vitória, ou chorarmos juntos a dor do outro, "como se fosse você..."         
            Minha oração é para que Deus fortaleça os de perto, família de sangue e fé, para que enfrentem os momentos de incerteza certos do Deus a quem servem. Peço também que os de longe, família também, na fé que une, aprendam e compartilhem para que o nome do Deus da graça suficiente, da vontade perfeita e agradável, seja glorificado hoje e sempre, em nós, grandes e pequenos, mas todos filhos do mesmo Pai celeste.
            Encerro esta breve meditação, pensando nas palavras do gigante: "Ainda que a vida esteja frustrada pelo pecado e doa na carne, Deus é uma presença agradável, neste e do outro lado da eternidade. Viver, por um segundo que seja, é bom; e, morrer, para nós, é Cristo".


ESTUDO DIRIGIDO PARA GRUPOS FAMILIARES

Baseado na mensagem do Rev. Cleverson Gilvan na Igreja Central

Texto – Lucas 15.11-32 – A Parábola do Filho Pródigo

            A mensagem desta semana tem como foco principal as crianças. Por isso, a primeira parte do nosso estudo dirigido é para elas:
PERGUNTAS PARA REFLEXÃO

1) O que o filho mais moço pediu para o pai? O que isso significou na relação deles?
2) Quando o dinheiro terminou o filho mais moço esperava alimentar-se do que os porcos comiam. Mas como as pessoas o tratavam – vs. 16? Qual a única fonte confiável de misericórdia que temos?
3) O filho resolveu voltar para casa do pai porque reconheceu o seu pecado. Como Deus nos trata quando nos arrependemos dos nossos pecados?
4) E qual foi a reação do filho mais velho com a volta do seu irmão? Por que ele reagiu daquela forma? Como você reagiria no lugar dele?

ESCALA JUNTA DIACONAL
abr-15
DATA
ALTO DA ESTAÇÃO
FILADÉLFIA
MANANCIAL
MATINHA
CENTRAL
5-abr
Carlos
Mardoqueu
José Humberto
Daniel
José Rodrigues
Rubens
Ney
Josué
12-abr
Josué
Igor
Mardoqueu
José Rodrigues
Marco Túlio
Carlos
Daniel
Jonathas
19-abr
Marco Túlio
José Humberto
Igor
Jonathas
Luiz
Rubens
Josué
Ney
26-abr
Igor
Jonathas
Mardoqueu
Luiz
José Humberto
Daniel
Marco Túlio
Carlos
OBS. 1: Os diáconos NEY e JOSUÉ são os responsáveis por prepara a Santa Ceia na Central.
OBS. 2: O diáconos escalados para as Congregações Alto da Estação, Manancial e Matinha, deverão levar os Ibelinos que dará aula na EBD.